As 4 Inovações que vão Apoiar o RH das Empresas em 2016

“Quando o momento é de incertezas,  a conscientização parte dos colaboradores,  dos líderes partem as mudanças e das inovações surgem as ferramentas para a adaptação ao cenário instável.”

Renato Fontana, Sócio e Diretor de Marketing da Enora Leaders.

Em artigo de Marcella Merigo, jornalista que escreve para o Santander Empresas, 4 pontos abordados por dois especialistas de Recursos Humanos e Treinamento e Desenvolvimento, deram pauta para o que esperar de novidade para 2016 como inovações do setor.

inovacoes-rh

‘O RH ainda é uma área encaixotada, pois carrega há muitos anos o estigma de não ser reconhecida como um setor altamente estratégico da empresa’. A opinião é da CEO da consultoria Genter, Irina Bezzan, que entende que inovação no RH é mudar a forma de fazer as tarefas que fazem parte do escopo do profissional: ‘o uso da tecnologia é um grande diferencial para ser mais assertivo e gerar mais atração e retenção de talentos.’

Para o sócio da empresa de educação corporativa Enora Leaders, Renato Fontana, inovação na área de RH é acompanhar as tendências das empresas. ‘É adaptar os recursos e investir em novas metodologias de gestão de pessoas e projetos’, explica.

Na prática
Confira 4 inovações que podem servir como exemplo para o RH da sua organização:

recrutamento-e-selecao1. Recrutamento e seleção
No passado, a maioria das seleções de candidatos para uma vaga de trabalho era realizada pessoalmente. Atualmente, o cenário é outro: é cada vez mais comum que as empresas tenham a tecnologia como uma aliada, como ocorre com o uso de sistemas de vídeo. ‘Hoje, o recrutamento é muito online e, dessa forma, você ganha muito tempo, agilidade e assertividade no processo’, diz Irina.

 

 

2. Gestão ágilgestao-agil

Segundo o sócio da Enora Leaders, esta é uma tendência que está em alta. ‘É um estilo de gestão que deu muito certo no Vale do Silício. O foco é ter menos pessoas participando de forma colaborativa em todos os projetos da companhia’. De acordo com ele, muitas organizações têm criado unidades de negócios para investir nesse modelo.

 

3. Employer Branding
A sua companhia é reconhecida como um bom ambiente de trabalho? Employer Branding é a reputação da sua empresa na visão dos colaboradores. ‘O RH sai da caixinha interna e passa a cuidar da gestão da marca empregadora. É ter um olhar de entendimento da cultura organizacional muito amplo’, explica a CEO da Genter.

 

4. Acompanhamento de home office
Se você possui um regime de home office em sua companhia, como é feita a gestão dos colaboradores que participam do programa? ‘Cabe ao RH saber acompanhar e ajustar, por exemplo, a avaliação de desempenho desses funcionários. Para isso, a tecnologia pode ser uma grande ferramenta’, entende Irina.

 

Casa de ferreiro, espeto de pau?
‘Muitas vezes, dentro de uma empresa, apesar de selecionar e treinar as outras áreas, internamente, o RH pode ser o setor mais desatualizado’. Segundo Irina, isso acontece porque o RH, às vezes, mantém um foco tão interno, que seus profissionais não acompanham as tendências do mundo de negócios. Por outro lado, para Fontana, o funcionário de RH tem absorvido uma carga muito grande de desenvolvimento e aprendizagem em treinamento. ‘Estamos em um momento em que as pessoas estão sendo menos inflexíveis à mudança. Ou ele se adapta, ou pode ser o primeiro a sair da organização.’

Quer conhecer mais sobre como implementar estas inovações em sua empresa ou treinar sua equipe?