O Incrível Estudo de Como Foco e Perseverança Guiam o Sucesso das Pessoas

Escrito por João Marcelo Furlan.

    Tenho que admitir, que como todos , sou fissurado em dados e na semana passada, tive a honra de poder acompanhar alguns muito interessantes na palestra no CONARH 2014 de um de meus ídolos em pensamento de Liderança, David Ulrich, que junto a seu companheiro Norm Smallwood escreveu clássicos sobre o tema como o “Código da Liderança” e “Liderança Baseada em Resultados”.

Em sua apresentação, ele compartilhou com o público sua nova abordagem chamada STARTME, do livro “Sustentabilidade da Liderança”, em que demonstra 7 práticas que tornam a LIDERANÇA SUSTENTÁVEL.

São eles:

1. SIMPLICIDADE – Foque em alguns comportamentos que tem alto impacto.
2. TEMPO – Coloque no calendário os comportamentos importantes para você para que tenha um tempo dedicado a eles
3. ACCOUNTABILITY (senso de responsabilidade) – Seja pessoalmente e publicamente responsável por fazer a mudança acontecer.
4. RECURSOS – dê suporte às mudanças desejadas com coaching e infraestrutura
5. TRACKING (Acompanhamento) – mensure seus comportamentos e resultados de maneiras específicas
6. MELHORIA – Constantemente melhore através do aprendizado com erros e falhas e demonstre resiliência
7. EMOÇÃO – Tenha paixão pessoal e emoção pelas mudanças que precisam acontecer.

      Bem, apesar do modelo como um todo ser interessante – sobretudo para quem quer promover mudanças na organização – interessei-me pelo comentário que ele fez no item 6. MELHORIA (ou em seu modelo “meliorate”) . Ele reforçou que segundo as pesquisas que tem tido contato, o que faz a diferença realmente para definir líderes não é o Q.I. que mede a inteligência lógico-matemática ou o Q.E. que mede a capacidade da pessoa de compreender e regular as suas emoções, mas na verdade o grande fator de diferencial e sucesso é GRIT.

Naturalmente, a plateia ficou pensando: “Ahhhhhhh, claro… mas afinal o que é Grit?”

Bem, ele apresentou uma pesquisa realizada por Angela Lee Duckworth compartilhada “com o mundo” em uma apresentação no TED que se baseia em seus estudos na Academia Militar de Westpoint, também junto à crianças na competição americana de Soletragem (Spelling Bee – bem, salvo as proporções… o equivalente ao nosso Luciano Huck…rs) e a professores, cuja principal conclusão é que as pessoas tem sucesso por causa desse tal de Grit, vejam:

    Acabando com o mistério, apesar de David Ulrich ter traduzido o termo “grit” como resiliência em sua apresentação,ou seja, a capacidade da pessoa voltar ao seu estado normal após sofrer grande pressão, após analisando melhor as publicações da Angela Duckworth, descobri que o significado real em Português é PERSEVERANÇA ou determinação. Nas palavras da autora, conforme seu estudo “Validação da Escala de Perseverança” (bem nerd,mas pra quem quiser ler… :), GRIT é uma demonstração atitudinal de perseverança e paixão por metas de longo prazo.
     Esta conclusão vai diretamente de encontro com algo que temos ensinado em nossos treinamentos na Enora Leaders, reforçando acima de tudo a importância de demonstrar superação e determinação como traços de liderança. Muito antes de conhecer este estudo sobre perserverança, a fonte que sempre usamos para mostrar a relação desta característica e o sucesso de líderes é a pesquisa “Empresa dos Sonhos dos Jovens” de 2011, em que diversas características relacionadas à GRIT (vide tabela abaixo) como a no. 1 persistência e determinação, bem como Empreendedorismo que não deixa de ser a capacidade de perseguir e executar um sonho/visão… somam mais de 40% das motivações para que os jovens tenham chegado à lista abaixo apresentada.
    Se desdobrarmos ainda mais este conceito de FOCO NO LONGO PRAZO, também podemos encontrar referências sobre ele no artigo “Seu cérebro em Funcionamento” da Harvard Business review de Fevereiro de 2014, em que fala que o Líder FOCADO é aquele que atinge maiores resultados segundo a neurociência.

     “Descobertas recentes sobre a rede do controle reforçam o que os melhores líderes afirmam sobre realizar a competição por meio do foco: as empresas deveriam limitar o número de iniciativas estratégicas que assumem a apenas algumas gerenciáveis. Exigir que as pessoas persigam várias metas fragmenta a atenção e dificulta a execução de qualquer trabalho meticuloso. Com um número excessivo de objetivos para manter e monitorar, a rede do controle espalha seus recursos limitados e nos esforçamos para dar conta de todas as responsabilidades assumidas.”

Outra edição da revista americana lançada apenas 2 meses antes (Dez – 2013), também reforça este conceito – mencionando o último livro do genial Daniel Goleman, destacando ainda mais o conceito do líder focado. (não percam seu livro “Foco” – vou explorá-lo em outro post).

     Ou seja pessoal, dá ainda mais trabalho liderar atualmente, já que a todo momento somos colocados à prova para nos mantermos focados e determinados, superando as barreiras encontradas para atingirmos nossos objetivos de longo prazo. Mas lembrem-se que a todo momento este nível de perseverança está sendo observado pelo time, pares e gestores, para decidirem se irão nos seguir ou não nesta nossa “odisseia”. Em um mundo com tanta informação e, acima de tudo, interação entre as pessoas, manter o foco e persistir são cada vez tarefas mais difíceis, mas quem manter a paixão e ater-se ao objetivo de longo prazo tem chances de sucesso muito maiores.

Namastê e bom (final de) semana a todos!

J. M. Furlan