Robin Williams – Frases – Seleção Enora Leaders Quotes

Série Grandes Líderes do Cinema

“Não importa o que as pessoas falam, somente palavras e idéais podem mudar o mundo!”
– Robin Williams

Robin Williams, um dos maiores atores de comédia do mundo.
Fonte: AdoroCinema.com

Ator de 56 filmes, 6 séries e produtor de mais 2 outros filmes, Robin Williams pode ser considerado um dos maiores atores de comédia que o mundo já viu.
Vencedor de muitos prêmios e famoso pelos inúmeros personagens engraçados, chega a ser curioso que o maior prêmio de sua carreira seja num papel dramático. Reconhecido mundialmente pelo humor e capacidade de improviso, é dele que vem a sua origem como ator, pois quando era pequeno criava vozes para se distrair e, mais tarde, foi incentivado a investir no segmento pelo professor de teatro.
– É descendente de galeses e escoceses;

– Quando era jovem, era muito gordo. Para se distrair passou a fazer imitações;

– Na época da escola foi eleito o Mais Engraçado e o Menos Provável de se dar bem na vida;

– Fala francês fluentemente;

– Seus ídolos cômicos são Jonathan Winters e Richard Pryor;

– Entrou para um clínica de reabilitação para superar a dependência das drogas e do alcóol nos anos 80. Recebeu alta em 2006;

– Faz aniversário no mesmo dia que o ator Josh Hartnett;

– Em 2009, passou por uma cirurgia cardíaca onde trocou uma válvula;

– Estudou dramaturgia com Michael Howard em Nova York;

– Adora computadores e video-games;

– Possui uma plantação de uvas e produz vinho no Norte da Califórnia;

– Costuma visitar a Austrália em suas férias;

– Fã da série “Monty Python’s Flying Circus”;

– Tem um filho, Zachary Pym “Zak” Williams, nascido em 1983, do relacionamento com Valerie Velardi;

– Sua segunda esposa, Marsha Garces Williams, foi babá de seu primeiro filho Zachary;

– Sua filha Zelda Rae Williams, nascida em 1989, é fruto do relacionamento com Marsha Garces Williams;

– Em 1991, nasceu Cody Alan Williams, também da relação com Marsha Garces Williams;

– É fã de Jornada nas Estrelas;

– No início da carreira, disse em entrevista e também através de seu currículo, que tinha nascido na Escócia. Na verdade, ele nasceu em Chicago;

– Já participou de episódios das séries da TV americana “LA Doctors” e “Friends”;

– Possui uma estrela na Calçada da Fama, localizada em 6901 da Hollywood Boulevard;

– Estudou dramaturgia na tradicional Julliard School de Artes Cênicas. John Houseman sugeriu que ele investisse seu talento no mercado de stand-up comedy;

– Durante seu período na Julliard conheceu o ator Christopher Reeve de quem tornou-se amigo até seu falecimento em 2004;

– Foi escalado para ser o pai de Drew Barrymore em Nosso Louco Amor (1998) mas acabou saindo da produção antes que suas cenas fosse rodadas;

– Eleito em 1997 o nº 63 no ranking da “100 Estrelas de Cinema de Todos os Tempos” da revista Empire;

– No mesmo ano, foi eleito como “O Homem Vivo Mais Engraçado” pela Entertainment Weekly;

– Durante os testes de elenco para um papel no seriado “Happy Days” (1974), o produtor Garry Marshall o contratou depois que o viu sentado de cabeça para baixo;

– Quando fazia parte do elenco do seriado “Mork & Mindy” (1978), Williams acabou se livrando dos roteiros tamanha era a quantidade de vezes que improvisava em cena e o resultado dava certo;

– Sua maldição “Shazbot” apareceu pela primeira vez na abertura do seriado “Mork & Mindy”. De lá para cá, já foi citada em outras produções como um episódio de “Os Simpsons”, entre outros;

– Era para ter aparecido em um episódio da série “Star Trek: The Next Generation” como o viajante do tempo Professor Berlinghoff Rasmussen, mas conflitos de agenda o impediram e o papel foi ocupado por Matt Frewer;

– Williams procurou fazer uma participação no universo “trekkie” por influência de sua amiga Whoopi Goldberg, que já tinha feito várias participações como atendente de bar Guinan;

– Foi eleito um dos 25 Melhores Atores pela revista Entertainment Weekly em 1998;

– Depois de ganhar o Oscar por sua atuação em Gênio Indomável, enviou uma pequena réplica da estatueta para Peer Augustinski que o dublou para o alemão, com a seguinte inscrição: “Obrigado por me fazer famoso na Alemanha”;

–  Em 1980, emplacou um hit no nº 104 da Billboard com a música “I Yam What I Yam”;

– Em 2003, figurou como 7º no ranking das “10 Maiores Estrelas dos Anos 90” da revista Star TV;

– Em 1996, entrou para a história por ter conseguido numa mesma semana ter dois filmes superando a marca dos US$ 100 milhões: Jumanji e A Gaiola das Loucas;

– Eleito uma das 50 Maiores Estrelas de Cinema de Todos os Tempos pela tradicional revista Entertainment Weekly;

– Uma semana após o acidente de Christopher Reeves ao cair do cavalo, Williams apareceu no hospital apareceu disfarçado de médico russo com direito a máscara e tudo. Reeve disse que foi a única vez que conseguiu rir naquele lugar;

– Ajudou a pagar as despesas médicas de Reeve durante seus últimos anos de vida;

– Chegou a ser considerado para o papel de Joe Miller em Filadélfia, mas o papel acabou ficando com Denzel Washington;

– Grande apoiador do Partido Democrata e claramente contrário a Guerra do Iraque. Apesar disso, foi um dos mais ativos colaboradores com shows para os soldados ganhando, inclusive, o apelido de Bob Hope;

– E 2004, dedicou o prêmio Cecil B. DeMille, do Globo de Ouro, para o amigo Christopher Reeve;

– A maior parte de seu diálogo em Aladdin é improviso;

– Os dois, por coincidência, dividiram um filme com Alec Guinness. McGregor como o jovem Obi-Wan Kenobi em filmes da franquia Guerra nas Estrelas, e Williams em Hamlet;

– Williams dividiu o papel de Osric, em Hamlet, com outro ator da franquia Guerra nas Estrelas. Peter Cushing encarnou o mesmo personagem em outra versão ao lado de Laurence Olivier;

– Em 2002, depois de quase 20 anos afastado dos palcos de stand-up, retornou com um show na Broadway e ganhou um Grammy de Melhor Álbum Falado em 2003;

– Embora seja reconhecidamente um fenômeno na arte de imitar vozes, seu talento só foi usado poucas vezes: Ferngully – As Aventuras de Zak e Crysta na Floresta Tropical, Aladdin, Aladdin e o Rei dos Ladrões, Robôs. Happy Feet – o Pinguim e A.I. – Inteligência Artificial;

– Em Uma Babá Quase Perfeita, ele também usa uma voz diferente da sua;

– Existem inúmeras atrações na Disney que usam vozes criadas por Robin Williams;

– Em 1976, competiu com Dana Carvey, Harry Anderson e A. Whitney Brown no “San Francisco Comedy Competition”;

– O papel de Charada foi oferecido para ele em Batman Eternamente, mas acabou nas mãos de Jim Carrey;

– Chegou a ser cogitado para o papel de Bobby Wheeler no seriado “Taxi”, mas o papel foi para Jeff Conaway;

– Era uma opção para viver Frank em Pequena Miss Sunshine, mas desistiu e o papel ficou com Steve Carell;

– Teve sua candidatura de Melhor Ator Coadjuvante por Aladdin recusada por ter emprestado apenas a voz;

– Williams e Robert De Niro foram os últimos atores que encontraram com John Belushi ainda vivo, antes de sua morte no hotel Chateau Marmont, em 1982;

– Durante o tradicional programa do apresentador James Lipton, Indise Actor’s Studio, quando perguntado o que diria para Deus quando chegasse no céu, disse que perguntaria se tem lugar na frente nos shows de Wolfgang Amadeus Mozart e Elvis Presley;

– É um dos poucos atores que possui uma participação no seriado “Vila Sésamo” sem atuar com bonecos;

– Por três vezes, pelo menos, já interpretou um presidente: Candidato Aloprado, Uma Noite no Museu e Uma Noite no Museu 2;

– Durante as filmagens de A Lista de Schindler, Steven Spielberg ligava para Williams e o pedia para contar piadas no viva voz e assim animar o pessoal do set. A maioria das vezes, o ator usava o personagem de Aladdin;

– A quantidade de improvisos durante as gravações de Aladdin é tão grande que rendeu mais de 16 horas de gravação;

– As alterações no roteiro acabaram impedindo que o filme fosse inscrito na categoria Melhor Roteiro Adaptado do Oscar;

No dia 11 de agosto de 2014, Robin Williams é encontrado morto em sua casa. Os principais meios de notícia publicam sua morte por suicídio.